quinta-feira, 8 de julho de 2010

E agora?

O que parecia difícil, aconteceu: e com direito a exibição de gala da Espanha. Vicente del Bosque, o técnico, entortou a Alemanha. Geniais Xavi, Iniesta e Xabi Alonso. Garra pura de Puyol. Uma grande partida, com pouquíssimas faltas. A Espanha teve de tudo: paciência, habilidade, disciplina tática e dedicação, além de alguns jogadores excepcionais. Bálsamo para o futebol!
Com o que jogou contra a Alemanha, a Espanha ganhou cara de campeã. Mas a Holanda é um time articulado, com muitas reservas técnicas, Snejder e Robben, frieza absurda e determinação para ganhar um título que já deveria ter vindo. Promessa de grande jogo na final. Difícil arriscar palpite. Mesmo em termos de torcida, fico dividido, pois as duas seleções são simpáticas e estão afiadas. Se vencer a Holanda, será a correção de uma injustiça com a genial "Laranja Mecânica" e as gerações de Cruyf, Neskens, Van Basten, Rijkaard, Bergkamp e os irmãos De Boer... Se for a Espanha, prêmio para a persistência e para o futebol bem jogado, com bola no pé, toques criativos e inteligência.

Nenhum comentário:

</