segunda-feira, 16 de março de 2009

Lula e Obama na Casa Branca



Como seria mesmo de se esperar em função da popularidade, do prestígio e da relevância política dos protagonistas, o encontro entre os presidentes Luís Inácio Lula da Silva e Barack Obama, realizado em Washington no último dia 14 de março, rendeu bastante discussão e muitas conjecturas.

A agenda do encontro foi composta por aquilo que já se sabia: protecionismo, regulação, medidas para conter a crise econômica, reunião do G-20 em abril, cooperação Brasil/Estados Unidos, biocombustíveis. Lula enfatizou particularmente a questão da maior disponibilidade de crédito nos mercados internacionais. Obama afirmou que os EUA colocarão a reforma financeira "no centro" de suas prioridades e que o estímulo fiscal é somente parte da resposta.

Coerente com seu compromisso de aumentar os esforços de seu país em favor das energias limpas, Obama declarou que os EUA "têm muito a aprender com o Brasil" no campo da energia renovável e afirmou que pretende usar o vínculo com esse país para "fortalecer" a relação com a América Latina. Lula retrucou no mesmo tom, afirmando que a eleição de Obama dá uma "oportunidade histórica" para que os Estados Unidos melhorem suas relações com a América Latina.

Os dois também abordaram o protecionismo, tema que preocupa o Brasil sobretudo depois da inclusão no pacote de estímulo nos Estados Unidos da cláusula "Buy American" (que privilegia a compra de produtos americanos pelos americanos). Obama disse reconhecer a importância do comércio como motor econômico e afirmou que o "objetivo deveria ser pelo menos não regredir" na abertura comercial. Ambos, no entanto, foram cautelosos quanto à liberalização comercial (Rodada Doha), que vêm como pouco provável enquanto persistirem os efeitos mais perversos da crise econômica internacional.

O encontro entre os dois presidentes foi descontraído e marcado por brincadeiras. Durou bem mais do que o previsto. Não resolveu praticamente nada, mas teve um grande e não-desprezível efeito simbólico, bom para Lula e para Obama.

Dei uma entrevista para a Rádio Eldorado logo depois do encerramento da reunião. Ela pode ser ouvida aqui.

Um comentário:

Luciano Alvarenga disse...

Prof. Marco Aurélio. Foi um prazer encontrá-lo na internet e de forma tão desenvolta em seu blog. Assiti meses atrás uma participação sua no Café Filosófico, foi bom relembrar suas aulas em Araraquara. Abraço e sorte, Luciano Alvarenga www.lucianoalvarenga.blogspot.com