sexta-feira, 14 de março de 2008

Nabuco em Yale

Joaquim Nabuco foi embaixador brasileiro nos Estados Unidos entre 1905 e 1910. Morreu no cargo, fechando assim seu último ciclo de vida, depois da militância empolgante do abolicionismo (1880-1888) e dos anos de recolhimento e ostracismo (1890-1899), quando teve de digerir a derrocada da Monarquia e assimilar a consolidação da República.

Chegou aos Estados Unidos doente e frustrado por não ter conseguido ocupar uma embaixada na Europa. Mesmo assim, procurou brilhar e cumprir um papel. Seduziu os círculos diplomáticos, políticos e intelectuais de Washington e recebeu inúmeros convites para proferir conferências em círculos literários e universitários de todo o país. Continuou a se equilibrar entre a paixão intelectual e o dever profissional, buscando causas que contivessem uma boa dose de universalismo, possibilitassem vôos literários e repercutissem nos destinos do Brasil. Encontrou esta causa no pan-americanismo, que, naqueles anos, embora fortemente associado à política de potência dos EUA, sugeria um caminho para que os países latino-americanos ganhassem maior poder de fogo diante dos imperialismos europeus. Para Nabuco, a união americana teria um parceiro natural no Brasil, sempre “leal a seu continente”, e contribuiria para que se introduzisse, no mundo, uma perspectiva de maior harmonia entre ordem e liberdade. Não era uma causa destinada a ter ressonância popular, como a abolição, mas seguramente não se tratava de um súbito raio estético, descolado da realidade, estranho à lógica dura da política.

Em maio de 1908, Nabuco foi convidado para proferir duas conferências na Yale University. Falou sobre Camões, literatura brasileira e portuguesa, sentimento de nacionalidade e história do Brasil, buscando associar tais temas ao valor estratégico da amizade e da cooperação entre os países das Américas.

Para comemorar o centenário desta visita, o Departamento de Espanhol e Português e o Council on Latin American and Iberian Studies da Yale University realizarão um seminário no próximo mês de abril, cuja programação está reproduzida abaixo.

Coordenado pelo professor Kenneth David Jackson, o seminário revela o prestígio e importância de Nabuco na história das relações Brasil-Estados Unidos, além de indicar o cuidado simbólico e as preocupações acadêmicas de uma das mais importantes universidades norte-americanas. Dele participarão: João Almino; Leslie Bethell, Oxford University; Stephanie Dennison, University of Leeds; Humberto França, Fundação Joaquim Nabuco, Recife; K. David Jackson, Yale University; Jeffrey Needell, University of Florida; Marco A. Nogueira, UNESP; Paulo Pereira, PUC-SP; John Schulz, Brazilian Business School; Norman Valencia, Yale University.

JOAQUIM NABUCO AT YALE

Brazilian Statesman, Author, Ambassador

A Centenary Commemoration (1908-2008)

Conference Program

2:00 p.m. Friday, April 4, 2008

Sterling Memorial Library, Lecture Hall


Welcome and Opening

K. David Jackson, "A Statesman in the Academy: Joaquim Nabuco at Yale"

Stephanie Dennison, "A Aproximação das Duas Américas: Joaquim Nabuco's promotion of Brazil in US Universities"

Leslie Bethell, “Joaquim Nabuco and the Abolition of Slavery in Brazil

João Almino, "The Earthenware and the Iron Pot: Nabuco’s Utopia for the Two Americas."


Reception, 5:00-6:30 p.m.

Ezra Stiles College, 19 Tower Pkwy


10:00 a.m. Saturday, April 5, 2008

Sterling Memorial Library, Lecture Hall


Norman Valencia, "Joaquim Nabuco and Camões"

Marco A. Nogueira, "Do abolicionismo à diplomacia, um liberalismo multifacetado"


Humberto França, "Joaquim Nabuco e Elihu Root, A viagem pan-americana”



2:30 p.m. Saturday, April 5, 2008

Sterling Memorial Library, Lecture Hall


Paulo Pereira, "The Role of Joaquim Nabuco at the Brazilian Embassy in Washington (1905-1910): Between Idealism and Pragmatism"


John Schulz, “Nabuco and the Failure of Social Reform”


Jeffrey Needell, “Glory at Dusk: Nabuco’s Activism, His Meditation, and the Choice for Diplomacy.”


Um comentário:

Franco e Direto disse...

Professor, sou André Henrique, aluno do terceiro ano de Ciências Sociais e seu aluno do curso de Pesquisa e Ciência Política. Estou tendo aula de política com o professor Carlos Gileno e estamos estudando esse período em que viveu Joaquim Nabuco. Enfim, estamos estudando a implantação do das instituições políticas no Brasil, no período imperial e os dilemas do liberalismo nesse tempo.
Na bibliografia tem um livro do senhor: As desventuras do liberalismo: Joaquim Nabuco, a monarquia e a república.
Em suma, bom seminário professor e continue representando bem o nome da Unesp. Parabéns!