segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Quando a sociologia abraça a estética



Sou amigo de Bruno Liberati há quase quarenta anos. Estudamos na mesma época na Escola de Sociologia e Política de São Paulo, no começo dos anos 1970. Foi lá que Liberati iniciou a carreira que acabou por consagrá-lo como um dos melhores e mais instigantes ilustradores, cartunistas e chargistas brasileiros. Equilibrando-se entre as ciências sociais e o desenho, enveredou pelo jornalismo e foi trabalhar no Jornal do Brasil, onde permaneceu por três décadas. Hoje é free-lancer e continua a cada dia melhor, produzindo a todo vapor, numa clara demonstração das possibilidades de integração criativa entre a consciência sociológica e a sensibilidade artística.

Visitas regulares a seu blog – o Liberati News – pode comprovar facilmente isso. São postagens diárias riquíssimas em desenhos, cartuns, ilustrações e textos cheios de humor, ironia e interpelação crítica da realidade. Para mim, as caricaturas são um caso à parte, por recobrirem – com uma pena precisa e perceptiva – um amplo panteão de figuras-chave do nosso tempo. Com sua permissão, pretendo reproduzir algumas delas por aqui, a partir de hoje.

Passem sempre que puderem pelo Liberati News e curtam uma empolgante experiência estética e política. Aprendo muito sempre que faço isso.

2 comentários:

Agnes disse...

Olá Marco, tudo bem?
Espero que sim...
Passei a conhecer o trabalho de Bruno Liberati através de seu blog e achei muito interessante de fato.
Acredito que a Sociologia precisa de mais experiências como as de Bruno. Um blog riquíssimo em informações, artigos e muito bom humor.
Beijos,
Agnes

Marco Aurélio Nogueira disse...

Perfeito, Agnes! É isso mesmo. O cara é fera, porque junta uma sensibilidade estética inesgotável com uma refinada visão crítica (e leve, bem-humorada, irônica, porque ninguém é de ferro...) da realidade. Ajude a divulgar o blog dele, que é muito bom.
Beijo